Cangaço

Cangaço
Aluno:Ramom

Cangaço

Cangaço
Aluno : Ramom

Movimentos rurais da República

Internet :Cangaço foi um fenômeno ocorrido no nordeste brasileiro de meados do século XIX ao início do século XX. O cangaço tem suas origens em questões sociais e fundiárias do Nordeste brasileiro, caracterizando-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados: assaltavam fazendas, seqüestravam coronéis (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Não tinham moradia fixa: viviam perambulando pelo sertão, praticando tais crimes, fugindo e se escondendo.

Meu: O nordeste tinha muita seca , fome e exploração trabalhistas e isso tudo contribuiu para que eles roubassem para sobreviver

Aluno:Ramom

Canudos

Canudos

Canudos

Canudos
Aluno: Ramom

Movimentos rurais da República

O líder do movimento rural foi o Antônio Conselheiro e a sua população eram camponeses , pequenos comerciantes e praticavam atividade como agricultura ,criação de animais e comércio de madeira seguindo como base religiosa o Messianismo e com isso seus compositores foram fazendeiros , republicanos e a igreja.
Aluna : Ramom

Garantia de um poder politico

Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo). Para usar uma frase famosa, democracia é o "governo do povo para o povo". Democracia se opõe às formas de ditadura e totalitarismo, onde o poder reside em uma elite auto-eleita.
Democracias podem ser divididas em diferentes tipos, baseado em um número de distinções:
1)democracia direta (algumas vezes chamada "democracia pura"), onde o povo expressa sua vontade por voto direto em cada assunto particular; e
2)democracia representativa (algumas vezes chamada "democracia indireta"), onde o povo expressa sua vontade através da eleição de representantes que tomam decisões em nome daqueles que os elegeram.
Outros ítens importantes na democracia incluem exatamente quem é "o Povo", isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a "tirania da maioria" e qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Democracia

Bem para mim Democracia é o governo DO POVO e não o governo PARA O POVO, onde prevalece o interesse da COLETIVIDADE e não da maioria.

Postado por : Ramom
Fonte: www.Yahoo.com

Democracia

A democracia direitos iguais a todos não importa se e rico , pobre ,negro . branco é um governo pro povo pra qualquer um

Postado por :Ramom

Texto 2

De acordo com o relatório da OIT de 2001, o trabalho forçado no mundo tem duas características em comum: o uso da coação e a negação da liberdade. No Brasil, o trabalho escravo resulta da soma do trabalho degradante com a privação de liberdade. Além de o trabalhador ficar atrelado a uma dívida, tem seus documentos retidos e, nas áreas rurais, normalmente fica em local geograficamente isolado. Nota-se que o conceito de trabalho escravo é universal e todo mundo sabe o que é escravidão.

Vale lembrar que o trabalho escravo não existe somente no meio rural, ocorre também nas áreas urbanas, nas cidades, porém em menor intensidade. O trabalho escravo urbano é de outra natureza. No Brasil, os principais casos de escravidão urbana ocorrem na região metropolitana de São Paulo, onde os imigrantes ilegais são predominantemente latino-americanos, sobretudo os bolivianos e mais recentemente os asiáticos, que trabalham dezenas de horas diárias, sem folga e com baixíssimos salários, geralmente em oficinas de costura. A solução para essa situação é a regularização desses imigrantes e do seu trabalho

Postado por Ramom

Origem Google.com

Texto 1 de Trabalho escravo

Nas letras da lei, a escravidão está extinta, porém em muitos países, principalmente onde a democracia é frágil, há alguns tipos de escravidão, em que mulheres e meninas são capturadas para serem escravas domésticas ou ajudantes para diversos trabalhos. Há ainda o tráfico de mulheres para prostituição forçada, principalmente em regiões pobres da Rússia, Filipinas e Tailândia, dentre outros países.

A expressão escravidão moderna possui sentido metafórico, pois não se trata mais de compra ou venda de pessoas. No entanto, os meios de comunicação em geral utilizam a expressão para designar aquelas relações de trabalho nas quais as pessoas são forçadas a exercer uma atividade contra sua vontade, sob ameaça, violência física e psicológica ou outras formas de intimidações. Muitas dessas formas de trabalho são acobertadas pela expressão trabalhos forçados, embora quase sempre impliquem o uso de violência.

Atualmente, há diversos acordos e tratados internacionais que abordam a questão do trabalho escravo, como as convenções internacionais de 1926 e a de 1956, que proíbem a servidão por dívida. No Brasil, foi somente em 1966 que essas convenções entraram em vigor e foram incorporadas à legislação nacional. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) trata do tema nas convenções número 29, de 1930, e 105, de 1957. Há também a declaração de Princípios e Direitos Fundamentais do Trabalho e seu Seguimento, de 1998.


Postado por ramom

fonte. Google.com

Texto 1 de Trabalho escravo

Nas letras da lei, a escravidão está extinta, porém em muitos países, principalmente onde a democracia é frágil, há alguns tipos de escravidão, em que mulheres e meninas são capturadas para serem escravas domésticas ou ajudantes para diversos trabalhos. Há ainda o tráfico de mulheres para prostituição forçada, principalmente em regiões pobres da Rússia, Filipinas e Tailândia, dentre outros países.

A expressão escravidão moderna possui sentido metafórico, pois não se trata mais de compra ou venda de pessoas. No entanto, os meios de comunicação em geral utilizam a expressão para designar aquelas relações de trabalho nas quais as pessoas são forçadas a exercer uma atividade contra sua vontade, sob ameaça, violência física e psicológica ou outras formas de intimidações. Muitas dessas formas de trabalho são acobertadas pela expressão trabalhos forçados, embora quase sempre impliquem o uso de violência.

Atualmente, há diversos acordos e tratados internacionais que abordam a questão do trabalho escravo, como as convenções internacionais de 1926 e a de 1956, que proíbem a servidão por dívida. No Brasil, foi somente em 1966 que essas convenções entraram em vigor e foram incorporadas à legislação nacional. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) trata do tema nas convenções número 29, de 1930, e 105, de 1957. Há também a declaração de Princípios e Direitos Fundamentais do Trabalho e seu Seguimento, de 1998.


Postado por Ramom

fonte. Google.com

Eu acho que em pleno século XXI ainnda ha escravidão e um pensamento de idade media e que o ser humano esta muito bem desenvolvido para saber de que um funcionário assalariado rende muito mais do que um escravo


fonte:www.google.com autor:desconhecido postagem :ramom

fonte:www.google.com autor:desconhecido postagem :ramom

fonte:www.google.com autor:desconhecido postagem :ramom

Regência Permanente

Uma vez instalada a Assembléia Geral, foi eleita em 17 de junho de 1831 a Regência Trina Permanente, que ficou composta pelos deputados José da Costa Carvalho - marquês de Monte Alegre -, político do sul do país, João Bráulio Muniz, do norte, e novamente pelo brigadeiro Francisco de Lima e Silva
fonte: www. wikipedia.com.br
autor:desconhecido
aluno:Ramom

Periodo Regencial

A Regência Trina criou a

1)Guarda nacional :Objetivos:Conter agitações
Lideres:fazendeiros
Características: Cada província tinha um corpo da Guarda Nacional
2) Código de Processo Criminal:Objetivos:Satisfazer os poderes
Lideres:fazendeiros
Características: Amplas autonomia as províncias na aplicação da justiça
3)Ato Adicional:Objetivos:Adicionar na constituição de 1824
Lideres:fazendeiros
Características:Autonomia nas províncias
Cria DF
Cria a Regência Una
Postagem :Ramom


A crise do 1º reinado

A crise do 1º reinado
origem : www.google.com.br autor : desconhecido Aluno:Ramom

origem : www.google.com.br autor : desconhecido Aluno:Ramom

origem : www.google.com.br autor : desconhecido Aluno:Ramom

origem : www.google.com.br autor : desconhecido Aluno:Ramom

Autor : desconhecido Origem: www.google.com.br Aluno:Ramom

A crise do primeiro reinado

O meu tema do seminário é a crise do primeiro reinado que ocorreu em 1822-1831

Texto:A do primeiro reinado começo em 1822 quando a opinião publica começou a reagir contra o imperador assim começaram a ter varios acontecimentos como a perda da cisplatina , a confederação do equador , a revoluçao liberal entre outras que fizeram o imperador D.Pedro 1º ter trabalho para governar .

Aluno : Ramom

Oque eu entendi

Após a independência, a cidade tornou-se a capital do Brasil, enquanto o ''estado'' enriquecia com a agricultura canavieira da região de Campos e, principalmente, com o novo cultivo do café no Vale do Paraíba

Rio de Janeiro

Período colonial
Em 1º de novembro de 1555, os franceses, capitaneados por Nicolas Durand de Villegagnon, apossaram-se da baía da Guanabara, estabelecendo uma colônia na ilha de Sergipe (atual ilha de Villegagnon).[livro 1]Ali ergueram o Forte Coligny, enquanto consolidavam alianças com os Tamoios e Tupinambás. Foi também com o auxílio dos povos autóctones que os portugueses atacaram e destruíram este agrupamento em 1560
Persistindo a presença francesa na região, os portugueses, sob o comando de Estácio de Sá, desembarcaram num istmo entre o morro Cara de Cão e o Pão de Açúcar, fundando, a 1 de março de 1565, a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.[livro 1]Uma vez conquistado o território, em uma pequena praia protegida pelo Pão de Açúcar edificaram uma fortificação de faxina e terra, o embrião da Fortaleza de São João.[livro 1]



Mapa da baía de Guanabara de 1555.

A expulsão e derrota definitiva dos franceses e seus aliados indígenas, no entanto, só se deu em janeiro de 1567.[livro 1]A vitória de Estácio de Sá, subjugando elementos remanescentes franceses (os quais, aliados aos tamoios, dedicavam-se ao comércio e ameaçavam o domínio português na costa do Brasil), garantiu a posse do Rio de Janeiro, rechaçando a partir daí novas tentativas de invasões estrangeiras e expandindo, à custa de guerras, seu domínio sobre as ilhas e o continente.[livro 1]A povoação foi refundada no alto do morro do Castelo (completamente arrasado em 1922), no atual centro histórico da cidade. O novo povoado marca, de fato, o começo da expansão urbana.[livro 1]

Durante quase todo o século XVII a cidade acenou com um desenvolvimento lento.[livro 1]Uma rede de pequenas ruelas conectava entre si as igrejas, ligando-as ao Paço e ao Mercado do Peixe, à beira do cais. A partir delas, nasceram as principais ruas do atual centro.[livro 1]Com cerca de 30 mil habitantes na segunda metade do século XVII, o Rio de Janeiro tornara-se a cidade mais populosa do Brasil, passando a ter importância fundamental para o domínio colonial.[livro 1]



Vista do Rio de Janeiro defronte à igreja do mosteiro de São Bento entre 1820 e 1825, por Johann Moritz Rugendas.

Essa importância tornou-se ainda maior com a exploração de jazidas de ouro em Minas Gerais, no século XVIII: a proximidade levou à consolidação da cidade como proeminente centro portuário e econômico. Em 1763, o ministro português Marquês de Pombal transferiu a sede da colônia de Salvador para o Rio de Janeiro.[livro 1]

A vinda da corte portuguesa, em 1808, marcaria profundamente a cidade, então convertida no centro de decisão do Império Português, debilitado com as guerras napoleônicas. Após a Abertura dos Portos, tornou-se um proeminente centro comercial. Nos primeiros decênios, foram criados diversos estabelecimentos de ensino, como a Academia Militar, a Escola Real de Ciências, Artes e Ofícios e a Academia Imperial de Belas Artes, além da Biblioteca Nacional - com o maior acervo da América Latina[13] - e o Jardim Botânico. O primeiro jornal impresso do Brasil, a Gazeta do Rio de Janeiro,[14] entrou em circulação nesse período. Foi a única cidade no mundo a sediar um império europeu fora da Europa.[livro 1]

Foi a capital do Brasil de 1763 a 1960, quando o governo transferiu-se para Brasília. Atualmente é a segunda maior cidade do país, depois de São Paulo. Entre 1808 e 1815, foi capital do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, como era oficialmente designado Portugal na época. Entre 1815 e abril de 1821, sediou o Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, após elevação do Brasil à parte integrante do Reino Unido.[livro 1]

Período imperial



Panorama da cidade em 1889.

Após a independência, a cidade tornou-se a capital do Império do Brasil, enquanto a província enriquecia com a agricultura canavieira da região de Campos e, principalmente, com o novo cultivo do café no Vale do Paraíba.[livro 1]De modo a separar a província da capital do Império, a cidade foi convertida, no ano de 1834, em Município Neutro, passando a província do Rio de Janeiro a ter Niterói como capital.[livro 1]

Como centro político do país, o "Rio" concentrava a vida político-partidária do império. Foi palco principal dos movimentos abolicionista e republicano na metade final do século XIX.[livro 1]Durante a República Velha, com a decadência de suas áreas cafeeiras, o estado perdeu força política para São Paulo e Minas Gerais.[livro 1]

Período republicano

Fonte : http://www.wikipedia.com/

autor:desconhecido

aluno: Ramom


fonte : www.google.com autor :desconhecido aluno :Ramom

Organizão da votação na França Pré-Revolucionaia

A votação era por estados , o 1 º estado o clero o 2º estado a nobraza e o 3 º estado a burguesia e o povo, como o primeiro e segundo estado estavam a favor do rei eles sempre ganhavam ,então a burguesia pede que o voto se ja por cabeça.

aluno:ramom
autor:desconheçido
origem:www.google.com







Organizão social da França Pré-Revolucionária

Organizão social da França Pré-Revolucionária
O poder politico da França é Pré-Revolucinária era absolutista , era dividida em 3 estados 1º estado (clero) e o 2º (nobres) 3º (burguesia e o povo ) , o terceiro estado sustenta o primeiro e segundo com impostos altos e trabalhos dos camponeses autor :desconhecido origem : www.google.com.br aluno :Ramom

Independencia

Independencia
Todos foram criados ''igual e são dotados de certo direitos inalienáveis, entre os quais estao a vida , a liberdade e a busca de felicidade ''. Thomas Jefferson Autor :desconhecido Origem: www.google.com Aluno: Pablo

Independencia

Independencia
Todos foram criados ''igual e são dotados de certo direitos inalienáveis, entre os quais estao a vida , a liberdade e a busca de felicidade ''. Thomas Jefferson Autor :desconhecido Origem: www.google.com Aluno: Ramom

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Brasília

Salvador - História

Fundada em 29 de março de 1549, Salvador foi a primeira capital do Brasil, posição que manteve durante 214 anos (1549-1763). A Baía de Todos os Santos era conhecida pelos navegadores portugueses desde 1501; sua localização estratégica na costa brasileira propiciava as ligações Portugal - Brasil - África - Ásia e a eqüidistância entre as regiões Norte e Sul do Brasil, aliada às condições requeridas para o abrigo seguro e a correta manobra das embarcações. Tudo isso determinou a sua escolha como local ideal para a construção da capital do Brasil. O conjunto arquitetônico colonial de Salvador é de grande importância para a História, possuindo inclusive o título de "Patrimônio Histórico e Artístico da Humanidade" conferido pela O.N.U - Organização das Nações Unidas. Ao longo dos três primeiros séculos posteriores ao descobrimento do Brasil, Salvador - Capital entre 1549 e 1763 - serviu de palco dos acontecimentos mais marcantes do País e se transformou na principal localidade do Atlântico Sul. Em 1501, uma expedição de reconhecimento à terra descoberta por Pedro Álvares Cabral deparou-se com uma grande e bela baía - batizada de Baía de Todos os Santos pelo navegador Américo Vespúcio, por ter sido descoberta no dia 1º de novembro. O grande golfo tornou-se, então, uma referência para navegadores, passando a ser um dos pontos mais conhecidos e visitados no litoral do Novo Mundo. Alguns registros históricos da época relatam ocorrências, como a saga do português Diogo Álvares, em 1510. Náufrago de uma nau francesa, ele foi acolhido pelos indígenas Tupinambás da região e chamado de Caramuru. Posteriormente, tornou-se membro influente da comunidade, formou as primeiras roças de cana-de-açúcar e algodão e casou-se com uma índia, batizada com o nome de Catarina Paraguaçu (filha de um cacique da tribo Tupinambá). Caramuru desempenhou importante papel na implantação do Governo Geral. Em 1549, o rei de Portugal D. João III nomeou o militar e político Tomé de Sousa para ser o governador-geral do Brasil e decidiu enviá-lo para a missão no dia 12 de fevereiro do mesmo ano. A armada, capitaneada pela nau Conceição, trazia mais de mil pessoas em seis embarcações: as naus Conceição, Salvador e Ajuda, duas caravelas e um bergantim. Depois de 56 dias, a esquadra aportou no porto de Vila Velha - fundada pelo donatário da capitania hereditária da Bahia, Francisco Pereira Coutinho - e foi recebida com festa pelos Tupinambás e por Caramuru. Tomé de Sousa ficaria no cargo até 1553, quando voltou à Lisboa e foi substituído por Duarte da Costa. Em 1550, a Capital viu os primeiros escravos chegarem nos navios vindos da Nigéria, Senegal, Angola, Moçambique, Congo, Benin e Etiópia. Com o trabalho dos negros, a cidade prosperou por influência econômica das atividades portuárias e da produção de açúcar, do fumo e do gado do Recôncavo. Em 1583, Salvador tinha duas praças, três ruas e cerca de 1.600 habitantes.



Salvador foi a primeira capital do Brasil, levando 214 anos como capital. Em 29 de março de 1549 Tomé de Souza, e seus companheiros chegam, em seis embarcações: três naus, duas caravelas e um bergantim, com ordens do rei de Portugal de fundar uma cidade-fortaleza chamada de São Salvador. Nasce assim a cidade de Salvador, como cidade-capital, sem nunca ter sido província, e foi por muitos anos a maior cidade das Américas.


http://opiniaoweb.com/viagens/wp-content/uploads/2009/01/salvador_grande1.jpg Autor: Pablo Rodrigues de Souza

Origem: Desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário